Papa recorda Santa Bakhita: dedicar-se aos pobres com ternura

O Papa Francisco citou a santa padroeira das vítimas do tráfico de pessoas por ocasião da audiência aos membros da Fundação Galileu.

Cidade do Vaticano

O Papa Francisco recebeu em audiência os membros da Fundação Galileu.

Essa Fundação nasceu em 1934 e tem sede na cidade italiana de Pisa. A finalidade da instituição é divulgar a cultura científica através da valorização do patrimônio do Museu dos Instrumentos para o Cálculo, intitulado a Galileo Galilei.

Mensagem salvífica

Em seu discurso, o Pontífice agradece à Fundação pelo “precioso papel em divulgar a mensagem salvífica do Evangelho às pessoas do nosso tempo, especialmente aos irmãos e irmãs mais vulneráveis”.

Francisco agradece ainda aos membros por promoverem a conscientização sobre a condição dos que sofrem com a pobreza e a exploração, de modo especial quem é vítima do tráfico de seres humanos. “Esta é uma tarefa urgente e essencial para os cristãos de hoje”, disse o Papa.

Santa Josefina Bakhita

O Santo Padre recordou a memória litúrgica de Santa Josefina Bakhita, padroeira das vítimas do tráfico: “Ela conheceu através de sua dolorosa experiência pessoal a realidade da escravidão e a suas consequências violentas e humilhantes. E mesmo assim, por graça de Deus, ela chegou a conhecer a verdadeira liberdade e a verdadeira alegria”.

Para o Pontífice, a santidade de vida de Santa Bakhita é um chamado não só a enfrentar com maior determinação as modernas formas de escravidão, “que são uma ferida aberta no corpo da sociedade, uma chaga na carne de Cristo e um crime contra a humanidade”, mas também a aprender com o seu exemplo. “Ela nos ensina como nos dedicar aos pobres com ternura, delicadeza e compaixão.”

O Papa concluiu encorajando os membros da Fundação a prosseguirem seu trabalho amparados pela oração.

Fonte: Vatican News

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here